domingo, 28 de abril de 2013

As coisas que eu gosto #1 - E quando um estranho te sorri...


Faço questão de sorrir e de cumprimentar quem quer se seja que se cruze no meu caminho.
Faço-o por reflexo, por feitio, por mania, sobretudo por princípio. Mesmo nos dias em que acordo às avessas.
Porque acredito piamente que isso faz de mim uma pessoa mais feliz, alguém melhor, e é o tipo de atitude com quero contagiar o mundo.


Comecei a fazê-lo de forma consciente numa altura em que achava que tinha uma boa soma de motivos para me queixar da vida, do destino, da sorte, ou do que o queiram chamar.
Simplificando a coisa, após alguma ponderação, apercebi-me que não tinha qualquer poder para mudar a situação em si. O único pormenor sobre o qual eu tinha controlo era a minha atitude. Basicamente se iria optar por ser alguém negativo ou positivo.
E aí não havia outra escolha possível, que nunca tive grande paciência para as pessoas que cultivam a autocomiseração e a amargura. Não iria abrir excepções, nem para mim mesma!

A verdade é que o positivismo torna-se uma prática mais fácil e natural a cada dia que passa, assim como as suas manifestações, tal como um sorriso. O mundo é fértil em motivos para sorrir e quando não os vemos, só pode significar que estamos desprovidos de todos os sentidos.

Gosto de sorrir. Mesmo para estranhos.
Fascina-me o quanto tenho aprendido sobre a natureza humana através deste exercício.

Basicamente, obtenho três tipos de reacções quando sorrio para um desconhecido:

Independentemente do sexo ou da idade, inicialmente foi uma surpresa para mim verificar que a esmagadora maioria das pessoas retribuem o sorriso.
Um pequeno número demora a tomar uma decisão. São os que olham em volta, ponderam se eram realmente o alvo do meu contacto, e é absolutamente fantástico quando decidem retribuir.
Por fim, somente um número muito reduzido é imune, decide não participar, franze o sobrolho ou finge que não vê.

Sinto-me uma cientista, da "sorrisologia", e o fruto da minha experiência deu-me motivos para ser mais positiva quanto às pessoas - pelo grande número que não recusa a construção da ponte relacional e emocional entre dois indivíduos, mesmo desconhecidos, que é o sorriso!