terça-feira, 19 de novembro de 2013

Em hibernação...



Quando estamos no pico do Verão, sonho com viagens a um destino gelado. Algo épico, tipo uma excursão a um dos pólos, ou aventurar-me até à base do K2 ou Annapurna.

Depois chega o Inverno, e volto a chegar pela enésima vez à conclusão que, eu e o frio também não somos grandes amigos.

A temperatura de hoje, considerada temperada e amena se compararmos com aquilo que nos espera no Everest, já é por si suficiente para me dar vontade de sair à rua em equipamento polar.
Não existisse um certo pouco à vontade em tornar-me o centro das atenções, e não saíria de casa sem uma balaclava.

Igualmente, hoje tenho o bónus de voltar a sentir como é estar doente. Já nem me lembrava como era isto de sentir febre, calor e frio simultaneamente, a garganta a dar de si, e a voz a sair baixinha e com menor capacidade de expressão.

O que me surpreende, é que nem este desconforto me deita abaixo. Sim, fisicamente estou em baixo de forma. Mas a boa disposição, a vontade de rir, o mau feitio, estão incólumes.
A moral está alta por aqui, e isso é meio caminho andado para a vitória sobre este bicharoco.

A minha estratégia consiste em alguns comprimidos, uma copiosa quantidade de chá de limão, gengibre e alho. Mel para lubrificar a garganta. Vitamina C daquela que vem em fruta, ao invés daquela que vem em pastilhas. Ter atenção ao que o corpo pede. Repouso, boa disposição e confiança no facto de que o organismo está preparado para ganhar a guerra contra estes bicharocos.