sexta-feira, 2 de maio de 2014

cromices #12: Não sorria, por favor.



À falta de melhor termo, diria que tenho um "tique" sui generis, que é motivo de galhofa cá por casa.




Quando sei que tenho uma objectiva apontada a mim, o meu reflexo, (sublinhe-se reflexo, o que significa de forma automática e involuntária), é abrir um sorriso "pepsodent".




Independentemente do contexto, é inevitável. De tal forma, que conto um dia receber um postal da Via Verde por ser a utente mais fotogénica e sorridente.




Hoje, fui apanhada por uma equipa de reportagem de um canal noticioso. E claro, bastou ver-me em modo close up, que lá estava eu a opinar sobre medidas extraordinárias, decisões governamentais, direitos dos trabalhadores e o diabo a sete, com um sorriso de orelha a orelha.




Vá lá, bastaram dois takes para a coisa ficar aceitável. É que após a primeira tentativa, o repórter de imagem avança com o pedido, se eu podia não sorrir, é que estamos, afinal, a falar do Governo.






Não consigo deixar de pensar como seria caricato, se tivesse optado por Jornalismo ao invés de Publicidade, e seguido o desejo de ser repórter de guerra.