segunda-feira, 14 de julho de 2014

cromices #20





O talento para a cromice já vem de longe. O real cromo (ou croma, neste caso), é cromo a vida toda. Não é algo que simplesmente desabroche sem aviso prévio, chegando-se a uma certa idade.
Pode acontecer, mas nunca será a mesma coisa.




Fiz o ciclo preparatório numa escola de freiras. Nesses dois anos assisti a mais missas do que durante a minha vida toda.


Numa dessas ocasiões, estava na fila para a hóstia quando tive uma branca, e me esqueci totalmente do que era suposto dizer ao padre quando este me estendesse a mesma.


Chegada a minha vez, pensei em receber a hóstia e escapulir-me em silêncio. O padre insistiu em ouvir algo da minha parte. Inspirada pela formalidade da coisa, respirei fundo e saiu-me um "obrigada pela bolachinha.".