quarta-feira, 30 de julho de 2014

Uma das grandes questões da vida que me atormenta...





... é a seguinte:


- Porque é que sobra sempre para os mesmos?!




Aos responsáveis duplicam-se as responsabilidades, dos cumpridores exige-se mais, aos trabalhadores dobra-se a carga de trabalho.
Permite-se que a outra metade navegue pela vida, ao colo dos outros, descansados. Esquecem-se que a leveza do seu fardo significa obrigatoriamente uma sobrecarga nas costas de outrém. Mas como não lhes sai do lombo...


E isto acontece nas escolas, nos empregos, e basicamente em todos os contextos em que exista mais de uma pessoa envolvida.




Não digo isto com o intuito de vos trazer azedume. Fala-vos alguém que é uma enorme advogada do prazer que é a preguiça. Aliás, é um prazer tão grande que todos a deveriam experimentar por igual.
E que tal seria perfeitamente possível se todos cumprissem com as suas obrigações, que trabalho dividido custa menos.


Ando há anos feita "Santa Antónia" a pregar aos peixes. Qualquer dia é dia de sardinhada.