sábado, 16 de agosto de 2014

cromices #31: A família "mijona"





Ontem, ida ao Guincho bem cedo pela manhã, quase no pico da preia-mar.


A oito mãos, em brincadeiras na areia, construímos uma "mega piscina" com todos os preceitos, incluíndo uma muralha circundante, decorada pela pequenita do grupo com as pedrinhas que ia recolhendo no seu balde.


Não tardou muito que tamanha construção chamasse a atenção de todos os pequeninos em redor.


Da minha toalha apreciava sorridente o cenário. 


Chegaram a ser à meia dúzia de uma vez lá enfiados, felizes da vida a chapinhar. E os pais igualmente encantados a fotografar os petizes.


Uns passos à direita uma mãe e dois filhos esforçavam-se por escavar a sua piscina. Coisa impossível aquela hora, visto que a maré já tinha vazado, e não havia pedaço de mar em redor, que se pudesse aprisionar.
Obervava-os e perguntava-me porque não se juntavam eles às outras crianças.


Num momento em que a "nossa" piscina estava vazia, a mulher desloca-se até lá e senta-se, julgando-se discreta. Não se demora muito, levanta-se e volta para o pé dos putos.


A seguir vai o miúdo, deita-se de barriga para baixo, também não se demora. E por fim a miúda, que imita os gestos da mãe.


Se desconfiei do que se estava a passar quando vi a mãe, tive a certeza quando vi os miúdos: aquela família de imbecis mentecaptos foi urinar à "piscina". 
Perfeitamente conscientes de que aquela construção estava a ser uma fonte de prazer e brincadeira para as crianças mais pequenas da praia, que as atraía como um imã, e mesmo assim decidiram conspurcá-la!


"Ah, mas coitadinhos, tinham vontade!" - Não há justificação no mundo que possa justificar tamanha imbecilidade e falta de civismo, especialmente quando existem bares e esplanadas a dezenas de metros com wc's à disposição, e asseados.




A sério, odeio gente desta!