terça-feira, 30 de setembro de 2014

cromices #47: diz-me que cicatrizes tens, dir-te-ei quem és.









As cicatrizes são medalhas, muitas vezes resquícios de histórias fenomenais do tipo aventureiro como "nadei com um tubarão de 5 metros e trouxe isto como recordação".


Como dona de casa aventureira que sou também tenho as minhas cicatrizes e as minhas histórias.


Numa canela, a marca que teima em não se desvanecer de quando fui atacada pela minha própria cama. A bicha estava em fúria e investiu com toda a força com uma das esquinas contra a minha perna. Entre urros de dor, consegui domá-la. Portanto acabou bem.


No peito do pé, envergo a marca de um ataque kamikaze de uma lata de insecticida que se atirou de uma prateleira a mais de 2 metros de altura. Contra todas as probabilidades, sobrevivi.


Num dedo carrego a lembrança de um duelo mortal com uma lata de atum samurai. Honrando a ética dos guerreiros da Papua Nova Guiné, após a minha vitória, comi-a.




Isto é uma selva senhores! Uma selva!