segunda-feira, 3 de novembro de 2014

coisas de ver #48





Hoje trago-vos um dos reality shows do mediático chef Gordon Ramsay: Hotel Hell.


Cá por casa partilhamos da opinião que este escocês de mau feitio é um psicólogo do caraças.


Ver o Gordon em formatos como este Hotel Hell ou Kitchen Nightmares, em que se este se dirige a estabelecimentos reais de forma a diagnosticar e a resolver os problemas que os impedem de ser um sucesso, impressionou-me mais do que vê-lo no ambiente do Hell's Kitchen.


Acabei por me enjoar do Hell's Kitchen. Pensava como seria difícil trabalhar com alguém com aquele feitio especial, embora desse para entender que em algumas das situações aquelas explosões eram necessárias, para além que cheguei a um ponto em que já não conseguia assistir à preparação de vieiras nem de lombo à Wellington pela enésima vez.


Fora desse contexto percebemos como esse mau feitio, frontalidade e o uso linguagem sem filtro são uma excelente ferramenta. Em qualquer um dos episódios do Hotel Hell, dá para apreciar isso.


Os estabelecimentos hoteleiros visitados pelo Ramsay têm problemas, muitos problemas. São falhas óbvias. Não é preciso nenhum génio para num curto espaço de tempo concluir os motivos do seu fracasso, qualquer pessoa com dois dedinhos de testa o consegue fazer.
Mas, o Gordon é o Gordon, e por ser quem é, as pessoas ouvem-no.
E quando não ouvem, quando continuam a viver uma ilusão, presas a maus hábitos, o Gordon mostra-nos quão eficaz é como "psicólogo": usando da sua peculiar linguagem e método, deita-os abaixo, chama-lhes nomes, derruba-os. Porque é preciso destruir antes de voltar a construir. E resulta.