sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Acho que já chega de Inverno...



Costumo gostar do Inverno. Usualmente gosto de sentir que existem quatro estações, distintas entre si, únicas nas suas características. Sempre pensei que tristes devem ser as zonas do Mundo que vivem numa só estação todo o ano. Que monotonia.

Mas, nem sei precisar porquê, não estou a conseguir apreciar este Inverno. Sinto-me a precisar da chegada da Primavera como de pão para a boca.

Este tempo, em especial os dias de frio intenso, têm sem dúvida afectado negativamente o meu humor.
Dou por mim a franzir o sobrolho por tudo e por nada, num estado de irritação constante. O cansaço tem sido o meu pior inimigo. O estado de espírito tão negro e carregado quanto o céu, a minha capacidade de interacção comigo própria e com o próximo está gelada como a temperatura que se faz sentir na pele, nos ossos.
As rotinas diárias, que consigo normalmente encarar de forma ligeira e prazeirosa, enfastiam-me, fazem-me revirar os olhos, e a sua realização toma mais de mim do que é costume, desgastam-me.

Não estou a gostar deste Inverno. E a pior parte é que, em especial nos últimos dias, encarnei esse mesmo Inverno.

No início deste mês, Fevereiro, celebrou-se o Imbolc, o dia que marca o meio caminho entre o Inverno e a Primavera, que celebra os primeiros sinais de Primavera, o início do ano agrícola, o regresso do Sol e dos dias um pouco mais longos.

Talvez signifique que, ao longo da história da Humanidade, todos nós havemos precisado de incentivo, que nos lembrem que o Inverno terá, eventualmente, o seu término. Que é preciso ter um pouco mais de paciência, reacender a chama interior para que derreta o gelo que se apodera das emoções e da psique, reencontrar o próprio calor. Que assim como Brígida que simbolicamente rejuvenesce, abandonando o estado de anciã para voltar a ser jovem, o mesmo se passará connosco. Bastará perseverar só mais um pouco para sentirmos essa mesma mudança.

Inspiro. Tento através das minhas próprias palavras encontrar ânimo para ultrapassar a notícia que, por aqui mesmo, as temperaturas poderão descer até aos 0º. Sem revirar os olhos, pode ser? - digo a mim própria - Vamos lá tentar chamar a Primavera em espírito, pelo menos!