sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

coisas que me irritam #15: Como perder clientes



Somos clientes mais ou menos assíduos, (conforme os apetites!), da Pizza Hut há cerca de década e meia.
Gostamos das pizzas de lá, o que é bom sinal, tendo em conta que, nos meus tempos de estudante universitária cheguei a ter um part-time num dos restaurantes da marca. Vi com os meus olhinhos como era preparada a comida e fiquei bem impressionada. Não deixa é de ser mais uma daquelas empresas que pagam mal e porcamente, mas isso são outros quinhentos.

Adiante.

Ontem, aproveitando que nos tivemos que dirigir ao Retail Park, decidimos jantar na Pizza Hut.
Haviamos estado lá não há muito tempo, e a experiência tinha sido boa. Mesmo com a casa cheia, o serviço havia sido rápido e a comida bem confeccionada. O que se espera.

Pouco passava das sete da tarde, logo fomos os primeiros clientes a entrar, juntamente com outro senhor.
Fizemos o pedido: batatas country para entrada, e duas pizzas clássicas, (que eu adoro, e é uma pena que não façam parte da ementa take away ou de entrega ao domicílio).

As bebidas chegaram à mesa rapidamente, mas a partir desse momento esperámos e esperámos...
Olhámos em volta e o que observámos foi:

- A nossa empregada de mesa a fazer acolhimento de clientes, (durante aquele período de espera chegaram muitas mais pessoas), uma pessoa a fazer o serviço de bar, um empregado de cozinha ao balcão ocupado com o empratamento e embalamento dos pedidos, (aparentemente tudo normal até agora, certo? Mas não ficamos por aqui...), duas empregadas de mesa naquele momento paradas em frente ao balcão, (tanto que foram atender um cliente de take away em coro), mais um ou dois funcionários a não fazer aparentemente mais nada que não observar o tal funcionário em trajes de cozinha, e a nossa comida a esfriar em cima do balcão sem que ninguém a viesse entregar.
Para piorar a situação, não se tratavam somente das entradas. As pizzas também já estavam prontas.

Tive vontade de chamar um dos empregados e perguntar-lhe se aquele era o meu pedido, e se sim, porque é que ninguém o vinha entregar à mesa, em tempo útil, antes que esfriasse.
O marido insistiu que esperássemos para ver até onde é que a coisa ia. O seu ponto de vista é que não somos nós, clientes, que temos que os ensinar a trabalhar correctamente.

Nesta altura já estávamos ambos especados a olhar para o balcão e para toda aquela gente. Por cada minuto que passava a nossa expressão facial embrutecia, mais e mais. Instaurava-se aquela sensação de "bolas, que já nos estragaram o jantar! Que nervos!"

E a espera continuou...
A uma dada altura pareceu-nos ver o funcionário que tratava do empratamento a chamar a atenção do tal rapaz que não fazia nada mais que observá-lo, (devia ser gerente ou algo assim), para o nosso pedido, a dizer-lhe que o fosse servir. O rapaz ignorou-o completamente, virou-lhe costas.
Nós, que nos apercebemos da cena, mais furiosos ficámos.

Quando finalmente nos serviram, como é óbvio a entrada estava morna e as pizzas frias.
Por falta de tempo, mas sobretudo de paciência, optámos por chamar a empregada para pedir que as pizzas fossem reaquecidas.
Houvesse realmente mais tempo e paciência e o que deviamos ter feito, e o que era a minha vontade, era mandar tudo para trás, e exigir que fizessem tudo de novo. Que servissem em primeiro lugar as entradas, e só depois, as pizzas, quentes como se quer. Acho que não é pedir muito.

Enquanto esperávamos pelas pizzas requentadas (tem algum jeito?!) fomos mantendo o olho no balcão.
Incrivelmente, quando estas regressaram da cozinha voltaram a não nos serem servidas imediatamente.  Lá estavam elas, em cima do maldito balcão, com três ou quatro aves raras à volta, e nenhuma com o discernimento de cumprir o seu papel.

Já nos estavamos a passar!
Chegaram à mesa pouco tempo depois em estado aceitável. Se assim não fosse, teríamos pago as bebidas e as entradas e saído naquele momento.

Hoje, o sucedido continuou a moer-me a cabeça, e enviei uma reclamação através do site da Pizza Hut a relatar o sucedido e a afiançar que não voltaremos tão cedo aquele restaurante.

Confesso que é algo que é raro fazermos: reclamar. Mas com o passar dos anos, com o somar de situações, a vergonha, a timidez, a mansidão ou seja lá aquilo que faz de nós tão pacatos, vai-se desvanecendo.
Desta vez não consegui deixar de reclamar, embora vá tentar, no futuro, fazê-lo no imediato ao invés de andar a remoer no assunto. Fi-lo não só pelo facto de ter estado imenso tempo à espera, do erro que é servir as entradas em conjunto com o prato principal, da comida vir fria. Sobretudo fi-lo porque enquanto cliente me senti mal servida e desrespeitada.