domingo, 1 de março de 2015

cromices #72: O meu outro pet chama-se Flash Espinafre.



Há umas semanas, numa rotina que se repete inúmeras vezes, volto da mercearia carregada com a matéria-prima para uma sopa.
Abro o saco de folhas de espinafre e coloco-as de molho para as lavar. De repente, noto qualquer coisa na água: era um caracolito, coisinha tão pequena que foi uma sorte ter dado por ele.
Apresso-me a retirá-lo com a ajuda de uma folha de espinafre para cima da bancada.
Não foi por nojo que não lhe toquei, mas por receio de não conseguir ser suficientemente delicada com ele.

Até hoje mora na casinha que improvisei: um pequeno tupperware, (sem tampa, é claro), no parapeito da janela da cozinha. Com uma tampinha de uma garrafa de água a fazer de bebedouro, ou melhor, piscina, e folhas verdes frescas sempre ao dispôr.

Chamo-lhe Flash, porque é um vadio de uma rapidez alucinante. De vez em quando ora o encontro dentro da caixa, como fora, a investigar o parapeito ou os vidros.

Espinafre porque, lá está, foi encontrado no meio destes.

Volta e meia o marido pergunta-me quando é que o solto. Nos primeiros dias a desculpa era que estava um frio tremendo, que ele tinha a concha um bocadinho danificada e precisava de se recuperar antes de poder ir para a rua.
Agora não tenho desculpas, mas a verdade é que já me habituei a tê-lo por ali, aquele vadio sacaninha. E nem me parece que se esteja a dar mal visto que até já cresceu um pouco.
Ele é que já deve estar fartinho de me ouvir com o "caracol, caracol, põe os corninhos ao sol"!

Sou mesmo tolinha!