quarta-feira, 1 de abril de 2015

vida de cão #18: Prevenção da Leishmaniose



Já conheço as médicas veterinárias que acompanham o Kiko há uma dúzia de anos. Gosto verdadeiramente da I. e da C.. Mais importante do que gostar, confio no seu profissionalismo, empenho e nos seus conselhos.

Na última consulta, há algumas semanas, voltámos a falar da Leishmaniose. Embora exista já uma vacina, o que é uma tremenda evolução, esta por vezes causa reacções bastante adversas em cães de raças menores. Acaba por se gastar dinheiro na vacina, dinheiro no tratamento do animal à reacção adversa que este teve. Mais importante ainda, o stress de o ver a passar mal, de ter que o fazer passar por processos clínicos. E por fim acaba-se na mesma por se ter encontrar uma alternativa à prevenção da leishmaniose.

Então, foi-nos aconselhado o Leishgard. (Atenção que o que faço por aqui é descrever o que se passa connosco e com o Kiko, as nossas rotinas e aventuras. O bom senso dita que cada animal é um caso, e nada substitui a ida ao veterinário e o aconselhamento do profissional de saúde. Adiante...)

Iniciámos hoje o tratamento preventivo. Este consiste em dar-se uma dose do remédio por via oral,(como tem 7 quilos, são 0,7 ml exactos medidos com uma pequena seringa que vem na embalagem), diariamente durante todo o mês. Procedimento que se repetirá no mês de Junho.

A única recomendação que deixo aqui sobre este tema é que apostem na profilaxia desta doença. A Leishmaniose tem tratamento, mas não tem cura. E poderá significar a morte do animal.