terça-feira, 28 de abril de 2015

vida de cão #21: Por um triz!



Às vezes temos a grande sorte de estar no sítio certo no momento certo.

Ontem, quando me pus a caminho do supermercado, nem me passava pela cabeça que estaria prestes a vivenciar um desses momentos.

Do outro lado da estrada observo um casal de idosos acompanhado de uma jovem beagle sem trela.
Acontece que o cão não era deles, (como vim a saber), e em menos de nada, naquele espírito infantil que habita todos os cachorros, a patuda atravessa a estrada à maluca para vir ter comigo. Ia sendo atropelada.
Sem me dar tempo de reagir convenientemente, volta a atravessar a estrada mais duas ou três vezes, obrigando ao todo quatro carros a travar bruscamente.
Eu de mãos na cabeça, coração na boca, a repetir uma série de -  "Ai meu Deus!" - enquanto bendizia mentalmente os excelentes reflexos dos condutores que estiveram tão, mas tão perto de passar por cima da cadela. Daqueles momentos que parecem fazer aparecer mais um dúzia de cabelos brancos numa questão de segundos.

Atravessei a estrada, também meio à maluca, para evitar que ela voltasse a fazer do mesmo.

Aos passantes perguntava se eram os donos, ou conheciam o dono do animal.

Tive a imensa sorte de me cruzar com uma senhora que sabia exactamente a que casa o animal pertencia.
Lá fomos as duas entregar a cadela. Um dos portões tinha ficado aberto, por lapso, e por muito pouco essa falta de atenção teria tido um preço demasiado alto.