segunda-feira, 20 de julho de 2015

Vida de cão #25: Kiko na Feira Quinhentista



Durante a semana passada, entre Quinta e Domigo, ocorreu mais uma edição da Feira Quinhentista em S. Pedro de Sintra.
É um evento que, para meu agrado, se vem repetindo todos os anos, pois adoro Feiras Medievais.

Do que mais gosto desta feira medieval é que, em todos os anos, há sempre um pormenor que a torna melhor que o ano anterior.

Gosto de todo o conjunto formado pela animação de rua - os actores trajados com laivos de caricatura que se vão metendo com os visitantes, os malabaristas que brincam com fogo, os músicos; com as barraquinhas de artesanato, especialmente aquelas onde se demonstram os ofícios, como no caso do cesteiro. Dos comes, ou não fosse eu daquelas pessoas que se atraem pelo estômago. Se bem que este ano dei pela falta do cantinho das Filhós de Antigamente.
Dos animais: da rapariga que passeava um bando de gansos amestrados, que a seguiam como um rebanho, obedientes ao som do apito.

Este ano levámos o Kiko connosco. Por toda a profusão de estímulos já sabiamos que iria ser uma experiência excitante. Não gostou muito do barulho, mas em compensação adorou os cheiros que chegavam dos grelhadores e fornos de pão, assim como a quantidade de pessoas em seu redor.
O ponto alto da tarde foi um momento que nem nós poderiamos antecipar: tornou-se amigo de um porco. O porco Simão que pensa que é cão.
Sim, um porco! Daqueles cor de rosa com nariz de tomada. Cheiraram-se e deram ambos à cauda. O Kiko com a sua cauda espanador, e o Simão a abanar o saca-rolhas.