sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

cromices #102: Logo a mim, que nunca me engano e raramente tenho dúvidas.



Talvez eu tenha finalmente cruzado o ponto de não retorno nisto da senilidade e esteja oficialmente xexé.

Ia jurar que no primeiro dia do ano era costume o comércio encerrar. Que as bombas de gasolina e algumas salas de cinema eram a excepção.

Andou o marido a insistir comigo para irmos dar uma volta praticamente desde manhã cedo. Eu, resoluta em ficar por casa, especialmente depois de ter ido levar o Kiko à rua com frio, chuva e uma ventania que fazia voar lixo e folhas à nossa volta e, parecia querer arrancar toldos e tudo o que estivesse à mão de semear, inclusive o meu gorro, tentava desmontar essa vontade. "Mas não sabes que hoje está tudo fechado?! Queres ir onde fazer o quê?! Ainda por cima com este tempo!".
Não sentia vontade de sair para o frio só para constatar que estava tudo fechado.

A meio da tarde havia sido vencida pelo cansaço e lá fomos com o Kiko até à praia. Pelo caminho foi um fartote de riso e gozação pois em todas as ruas haviam restaurantes, cafés, esplanadas em funcionamento.

E o trânsito para a praia?! O estacionamento cheio. A quantidade de pessoas que partilharam a mesma ideia!
Mas foi bom e valeu a pena, mesmo com frio e vento.

A ver se para o ano me lembro que, afinal, agora os costumes são outros. Que há o que fazer e onde ir. Só espero é que para o ano não me troquem as voltas.