quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

cromices #108: Não há remédio como... a lei?!



Há dias, depois de mais um episódio a.k.a. figura triste, desabafei com amigos, (às vezes desabafar é preciso porque faz um bem danado!), que esta coisa das pessoas deixarem os cães andarem à solta, sem supervisão, estava a piorar tanto a minha ansiedade que começava a ter ataques de pânico de cada vez que via algum animal sem trela nas proximidades.

A J. perguntou-me se não deveria fazer algo para me ajudar a ultrapassar este problema.

Respondi que sim, que a primeira coisa que iria fazer seria procurar saber quem são os donos e ter uma palavrinha com eles, e de uma forma pacífica pedir-lhes que cumpram a lei.

A J. insistia em terapia, e eu respondia que, para começar, a melhor das terapias, no meu caso, é o cumprimento da lei. (Sim, eu sei que sou casmurra!).

Há dias que não me cruzo com um cão à solta. Há dias que o meu nível de ansiedade está maravilhosamente baixo, não tive outro ataque de pânico, e os passeios com o Kiko têm sido formidáveis. Até noto que ando com uma postura mais descontraída.