domingo, 3 de janeiro de 2016

sabedoria dos intas em 10 segundos #39


Depois de chegar a casa marido comentou, com uma expressão de desagrado, sobre ter visto um dos nossos vizinhos mais novos a ser respondão e malcriado com a avó, quando esta, pela janela, lançou o aviso que não se joga à bola no meio do estacionamento.

É claro que não tardou a haver resposta na figura do avô, que deu por encerrada a brincadeira e o levou para casa sob o aviso que tinham que conversar.

Eu, que sou daquelas pessoas horríveis que muitas vezes não se conseguem conter e metem o bedelho onde não são chamadas, tive, de certa forma, pena de não ter sido eu a assistir à cena, ao invés do meu marido.

Não sei se o miúdo já tem idade suficiente para compreender, mas gostaria de o ter chamado à minha beira. Dizer-lhe que um dia, daqui a muitos anos, quando ele tiver a minha idade, provavelmente já não terá avós. Que os adultos podem parecer uns grandes chatos, mas um dia irá sentir muita saudade, e vai desejar nunca ter sido torto nem respondão, e ter-lhes dado mais mimos e abraços.

Que qualquer um de nós será mais feliz ao aprender a ser tolerante e amável, especialmente com aqueles que nos querem bem, por mais chatos que possam ser.