domingo, 14 de fevereiro de 2016

cromices #112: S.Valentim on the rocks



Aos Domingos temos uma rotina da qual nos custa abdicar, que é ir à praia com o Kiko.
Hoje, mesmo com os anúncios de temporal, não foi excepção. Não estava a chover quando nos metemos no carro, então pensámos que não estaria assim tão mau. Pelo sim, pelo não, também não nos demoraríamos muito. Somente uma voltinha e um café na esplanada - era o plano.

Éramos somente uma mão cheia de resistentes. No areal, só mais um cão. Um Springer Spaniel juvenil que andou em correrias loucas com o Kiko.
O vento fazia voar a espuma do mar.
O ar corria gélido, e a maior parte do tempo andei com a gola da camisola a servir de balaclava, a cobrir ouvidos, boca e nariz.

Quando chegámos ao café, onde éramos os únicos a ousar tomar café na esplanada, riamo-nos a bandeiras despregadas com todo aquele cenário. O Kiko abrigado, por ordem do dono, debaixo da mesa. A sensação de que até o gorro poderia voar da cabeça a qualquer momento, o café mais amargo que o normal porque os grãos de açúcar eram levados pelo vento antes de chegarem à chávena, a tentativa de fumar um cigarro. A noção que seríamos totalmente tolinhos por estar ali naquele momento não tivéssemos uma vista privilegiada sobre o areal, e para um senhor que andava em calções de banho, em passo de corrida com a água pela cintura.
Caso se perguntem, sim, chegou mesmo a mergulhar.

Há algo de fantástico em haver sempre alguém mais louco.

Entre risota, o marido solta um "Feliz dia dos namorados". Nem 10 segundos depois, começa a cair granizo. À séria. Uma saraivada que nos faz chegar ao carro, em corrida, totalmente ensopados.

Não faz mal. Há muita receita memorável que diz "agitar e servir com gelo".