sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

coisas sobre mim: gosto, não gosto, edição natal.



Não gosto de farófias.
Gosto de arroz doce, especialmente do que o meu pai faz.
Gosto de aletria à moda antiga, feita pela minha mãe.
Gosto das minhas azevias de grão, feitas no forno.
Gosto de sonhos, especialmente quando saem fofos e sequinhos.
Gosto de algumas memórias de natais passados. Fecho os olhos e vejo a minha avó Felizarda a sovar a massa.
Não gosto de ir a shoppings nesta época.
Gosto das ruas enfeitadas com luzes.
Não gosto que se matem árvores só com o propósito de se montar a árvore de natal.
Gosto de levar o Kiko ao Reino do Natal.
Gosto da troca de votos, desejos e cordialidades da época. Pessoalmente, por telefone, chat, redes sociais, ou correio, tanto faz. Esse gesto é para mim prenda mais que suficiente e verdadeiramente satisfatória.
Não gosto que tenhamos perdido há muito o hábito de trocar postais natalícios.
Gosto de presépios, coroas e outros enfeites.
Não gosto de excesso.
Gosto da liberdade de vivenciar o Natal à nossa maneira.
Não gosto que nos tentem impingir tradições. Muitas vezes o termo "tradição" não passa de um argumento usado por alguém para convencer terceiros a fazer as coisas à sua maneira, para impor as suas preferências pessoais.
Não gosto de fazer nada por obrigação.
Não gosto de dar presentes por obrigação. Qualquer dia dos 365(6) é perfeito para oferecer um presente, basta encontrar aquela coisa que achamos mesmo, mesmo perfeita para aquela pessoa.
Não gosto que me ofereçam presentes por obrigação. Muito menos que gastem dinheiro nisso.
Gosto de prendas caseiras, feitas com as próprias mãos, especialmente das que se comem. Adorei receber de uma senhora amiga, caixinhas com vários doces de natal, feitos por ela. Só porque sim, porque disse que gosta de mim e lhe apeteceu.
Gosto de adiar as reuniões familiares para outros dias. Somos mais felizes assim.
Não gosto de ver as ruas a transbordar de lixo a seguir ao natal. Tanto desperdício, tanta embalagem e papel de embrulho por reciclar causa-me uma verdadeira tristeza.
Gosto de bolo-rei e bolo rainha. Não gosto que venha nem com brinde, nem com fava.
Gosto de rabanadas, mas sem molho ou calda.
Não gosto de doces demasiado doces.
Gosto de roupa velha, embora tenha que cozer couves propositadamente para a fazer, porque o marido não gosta de bacalhau.