quarta-feira, 31 de maio de 2017

coisas da Língua #2


Quando vi ou li pela primeira vez a expressão "talharia" confesso que ainda demorei um par extra de segundos para perceber que estava diante do descendente hipster do talho, vulgo estabelecimento que vende carne.

Durante esse lapso pensei que tinha surgido um qualquer novo restaurante especializado em receitas com talharim, a massa alimentícia com a forma de tiras finas. Afinal se há locais onde só se serve risoto, outros pregos, outros ainda camarão, (as opções quando nos dedicamos à exploração de um nicho de mercado são quase ilimitadas), porque não uma talharia dedicada ao talharim?
É que na minha cabeça isto continua a fazer muito mais sentido que modificar um vocábulo por uma questão de moda. Digo eu.