quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Vida de peixe: Dos móveis para aquários


Desculpem-me os apreciadores, mas se há peça de mobiliário com a qual embirro são os típicos modelos de móveis à venda em lojas da especialidade para servirem de suporte aos aquários.

Não questiono de forma alguma a sua utilidade. Para além da função de sustentação, foram pensados para guardar não só todos os produtos e acessórios do aquariófilo, e todo o equipamento como filtros externos e afins, de forma a ficar tudo arrumadinho e longe da vista.

Portanto não é com a "função" que embirro, mas com a "forma". Não há maneira simpática de o dizer: acho-os feios, ponto.
Sobretudo porque me fazem lembrar mobiliário de escritório, daquele chapa 5. Desde as linhas, à escolha dos tons do folheado, aos puxadores, tudo me faz lembrar algo que se encontra num qualquer canto de uma empresa com uma impressora em cima. Não me traria prazer algum ter um desses na sala e ter que olhar para ele a toda a hora.

Como se diz, gostos são gostos, e não se discutem.

Depois de levar com tanta careta da minha parte sempre que apontava para um desses móveis, o marido aquiesceu que talvez o melhor fosse dar um saltinho à Ikea, para ver se encontrávamos algo que pudesse servir de base ao aquário, e que fosse mais de encontro ao nosso gosto.

A nossa escolha foi a cómoda Brusali pelo toque de rusticidade, naquele branco escovado a contrastar com os puxadores negros.
Todos os cabos do aquário entram por um orifício nas costas do móvel, (que felicidade das felicidades, já vem pensado assim, não foi necessária qualquer bricolagem para além da montagem), para a primeira gaveta, que alberga confortavelmente e esconde da vista todos os interruptores e fichas. A segunda gaveta serve para guardar todos os produtos ligados ao hobby e sobra espaço com fartura.