segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Faça-se luz...





O sonho é algo transversal. Todos sonhamos, todos temos uns quantos sonhos que são também ambições, objectivos de vida, e pelos quais somos mais ou menos obstinados.


Um desses meus sonhos é ter uma pequena quinta. Com uma casa, não luxuosa, mas esteticamente agradável, cujas características correspondam às nossas necessidades e hábitos, e que espelhe as nossas personalidades. Sobretudo, que seja sustentável e energicamente autónoma, através do uso de energias renováveis.


Eu sei que é um sonho algo comum, mas isso não lhe retira o valor. E dias como hoje, só acrescem uns quantos pontos percentuais na minha obstinação.


Eu explico:


Hoje, durante umas horas, nesta zona, não houve electricidade para ninguém. Eu só me apercebi quando terminei o pequeno-almoço na esplanada.


- Fui ao banco, mas as máquinas multibanco estavam em baixo, (e foi aí que me apercebi).


- Comprar cigarros? Impossível, visto que a máquina não funciona.


- Ir às compras? Sem electricidade, torna-se uma missão impossível.


- Continuar na esplanada para queimar mais algum tempo? Não, quando não é possível pedir café.


- Ver o planeamento para o dia ir por água abaixo: já não será possível fazer uma máquina de roupa, nem aspirar, ou passar a ferro, nem sequer ligar o pc para trabalhar um pouco, ou até deambular pela internet.


E dou por mim a suspirar: Meus ricos painéis solares...