sexta-feira, 3 de março de 2017

cromices #146: Dos "super-poderes" pouco úteis



Quem é que nunca desejou ter super-poderes como os personagens de filmes, séries e bandas desenhadas?

Ter o dom da invisibilidade, da regeneração, correr como o Flash, ter a força de um Hulk ou as capacidades telepáticas do Professor Xavier...
São todos tão cativantes que se me pedissem para escolher um só poder a escolha seria difícil.

Exageros à parte, o que tenho de mais parecido com um "superpoder" pelos vistos é a capacidade de adivinhar o que o meu marido almoçou. Coisa que acontece com tal frequência que até já gozamos com a situação.

Ontem durante a tarde, comecei a pensar no jantar, e ocorreu-me hambúrgueres ou salmão. O marido chega a casa, e como de costume pergunto-lhe o que almoçou: hambúrguer de salmão.
Goza comigo, e eu respondo-lhe que mais uma piadinha e sirvo-lhe é couves de bruxelas. Descamba tudo: o acompanhamento do tal hambúrguer de salmão havia sido couves de bruxelas. Claro.

Anteontem, pensei em costeletas. Chega o marido, repete-se o ritual, o que é que almoçaste e tal: costeletas.

Não dá antes para acertar na chave do euromilhões?!