terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Sabedoria dos intas em 10 segundos #18



Chegamos à vida pelo útero materno.
Acredito ser necessário morrer simbolicamente várias vezes para realmente apreender o que é a vida. Para acender em nós esse talento, essa capacidade, a magia desse dom maior.
E em todas as vezes, renascer num parto que é individual, solitário, feito pelas próprias mãos.
Cada uma destas ocasiões aproxima-nos da Vida. Passamos de estranhá-la, a tê-la como próxima, como nossa, a sorrir-lhe e a desejá-la.
A obra alquímica completada no momento em que a amarmos. Pois somos aquilo que amamos.