quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Antropoformização involuntária #4



Desde há uns tempos que o Kiko dorme connosco.
Esperámos que ele aprendesse a fazer as necessidades fisiológicas na rua antes de lhe permitir certas liberdades.

Porta-se lindamente: não chateia nada, não faz barulho. Pode ficar um bocadinho eléctrico quando vamos para o quarto, dar-nos umas lambidelas, andar às voltinhas em cima da cama enquanto encontra a posição ideal, que é normalmente encostado a alguém, mas depressa acalma e entra num sono profundo.

Como qualquer criança de qualquer espécie, o Kiko é um macaquinho de imitação e talvez por isso já demos várias vezes por ele a dormir "à humano", esticado e com a cabeça em cima da almofada.