sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Vida de cão #6: uma simples caixa de cartão



O nosso lema tem sido "uma no cravo, outra na ferradura".

É importante indicar ao Kiko que não deve roer sapatos, nem roubar meias, nem arranhar isto ou aquilo, sobre quando pode e não pode subir para o sofá ou para a nossa cama. Enfim, tem sido bombardeado com uma série de regras...
A verdade é que criatura alguma neste mundo, inclusive nós e especialmente um bicho que ainda nem tem três meses de idade, aguenta um mundo só de regras e "nãos".

Para o compensar e fomentar uma espécie de equilíbrio tivemos que lhe arranjar algo que ele pudesse arranhar, destruir, o diabo a quatro.

A solução foi uma caixa de cartão, daquelas usadas nas mudanças, que comprámos no Leroy por tuta e meia.

O marido montou-a. Recortou-lhe uma entrada, e fez daquilo uma espécie de toca. Ele entra, arranha-a, arranca-lhe pedaços, espalha cartão por toda a divisão e está tudo bem. É para isso que inventaram um artefacto chamado vassoura.
Quanto esta precisar de reforma, temos outra de reserva.