terça-feira, 26 de janeiro de 2016

coisas de opinar: As despedidas são como as sobremesas.



Um qualquer chef experiente e capaz conhece o poder de uma boa sobremesa. Esta tem o poder de redimir a memória que se leva de uma refeição menos perfeita.

Um qualquer filósofo saberá que as metáforas são universais.

Cavaco Silva não é chef nem filósofo, nem experiente nem aprendiz. Apontavam-lhe ser economista, aquém do seu tempo. A forma como decidiu despedir-se da função de PR, havendo tantos caminhos possíveis e todos mais nobres, capazes de elevar um pouco a memória de uma Presidência que foi "fraquinha", demonstram que afinal é apenas mau. E ser mau é muito pior que ser ultrapassado ou incapaz.


Mais aqui.