quarta-feira, 29 de maio de 2013

O "tal" Código de Conduta


Morar num apartamento, independentemente da localização, área, tipologia ou tipo de acabamentos do mesmo, é basicamente como partilhar casa com um qualquer número de outros indíviduos. Desconhecidos que, por casualidade, acabaram por pertencer a uma espécie de família alargada.

Não pensem que me enganei ao escolher o termo - "família alargada", porque a partir do momento em que se partilham paredes, em que os momentos privados passam a ser comuns, (como notar que o vizinho de cima se levantou a meio da noite para ir à casa de banho, porque ouvimos a descarga do autoclismo), eu diria que, no mínimo estão preenchidos os requisitos para nos considerarmos primos em terceiro grau.

Morar num apartamento é uma experiência totalmente distinta de morar noutro qualquer tipo de habitação, e isso reflecte-se sobretudo na quantidade de cuidados necessários, do cumprimento de regras das quais depende em absoluto a harmonia entre vizinhos.
Para além do que é definido por lei (que prometo que um dia coloco por aqui), existe uma espécie de Código de Conduta com base no senso comum, muito próprio desta tal vida em apartamento, que julgo não se encontrar explanado em lado nenhum, e que é tão essencial para a paz entre este tipo de "famílias alargadas" quanto as regras encontradas nos documentos legalmente consagrados.


via blabaismo

Passo então a listar essas regras implícitas, sobre as quais não se costuma escrever nem falar, mas que todos esperam que sejam seguidas minimamente. Para quem nunca habitou num apartamento, estou certa que muitos dos itens que se seguem parecerão, na melhor das hipóteses, obtusos, picuínhas, e capazes de restringir em muito a liberdade de qualquer indivíduo na sua casa. Estarão correctos!
Culpem os empreiteiros por construirem casas que parecem de papel ou as próprias leis da Acústica!

Por algum motivo a casa de sonho da maioria das pessoas é uma moradia isolada e não um apartamento! Confesso que nem eu sou excepção a esta regra!
Mas sem estas orientações, a vida neste contexto de quase comunidade, seria infernal!
Basicamente, o espírito por detrás destas é o antigo adágio que nos lembra de tratar o próximo da mesma forma com que desejamos ser tratados.


O "tal" Código de Conduta

1 - Ao usar, seja a porta do prédio, de casa, janelas, estores ou até armários, não seja bruto! Não existe qualquer necessidade de causar um estrondo de cada vez que manuseia qualquer coisa.

2 - Por favor, não ande de saltos altos em casa. O toc-toc dos mesmos é dos barulhos mais irritantes que existe. Em casa, opte por usar calçado "silencioso".

via readexpress

3 - Evite arrastar móveis, o som que daí resulta para o seu vizinho de baixo é penoso! Se não o consegue evitar, considere seriamente adquirir os chamados protectores de pés de móveis que, para além de protegerem o chão, abafam em parte o ruído de arrastamento.

4 - Se tem crianças, pense em criar uma zona de brincadeiras e revestir o chão dessa área com espuma, daquela colorida e fofinha, de encaixe, que não só as protege, mas é também uma forma de evitar riscos no pavimento. Coloca-se e retira-se com a maior das facilidades, pois são vendidas em peças que encaixam umas nas outras tipo "puzzle", e os vizinhos de baixo agradecem, pois quem nunca deu em doido com o "pom pom pom" constante de uma bola bem por cima da cabeça?!

5 - Seja razoável na escolha dos horários em que liga o aspirador - nem demasiado cedo, nem demasiado tarde. O mesmo princípio aplica-se ao uso de outros utensílios ruidosos, seja a varinha mágica, o berbequim, etc.

6 - Se aprecia ouvir música em altos berros enquanto conduz, satisfaça esse prazer. Lembre-se somente de diminuir o volume do auto-rádio quando entra numa zona residencial, especialmente durante o período nocturno. Em casa, não abdique de ouvir música se gosta de o fazer. Seja feliz, mas use de bom senso em relação aos horários e ao volume.

7 - As áreas comuns dos prédios, vulgo entradas, são geralmente zonas com muito eco, onde qualquer som ganha uma dimensão redobrada. No período de descanso nocturno tenha especial atenção a esse pormenor. Movimente-se o mais silenciosamente possível.

8 - Chegou de uma saída nocturna e está a ter um último dedo de conversa com a sua companhia? Lembre-se de o fazer no carro, ou se o fizer na rua, não use o mesmo volume de voz que usaria para comunicar dentro da discoteca. Lembre-se que há quem esteja a dormir!

9 - Não se sacodem toalhas, tapetes e afins, à janela quando se mora num prédio. Não há excepções neste ponto.

10 - Não se pendura roupa a pingar no estendal. Igualmente há que ter cuidado com o uso de lixívia e outros produtos similares que possam danificar a roupa do estendal do vizinho, ou outra propriedade.

11 - Os fumadores não devem nunca atirar cinza nem beatas pela janela, nem conspurcar as áreas comuns com as mesmas.

12 - O escoamento de água presente em todas as varandas serve unicamente para a água da chuva, de forma a impedir inundações. Nunca deve ser usado para escoar a água suja com detergente depois de lavar o piso da varanda. As varandas não são pátios,  não se limpam à "mangueirada".

13 - No caso de haver áreas de lazer comuns como piscina, etc, os condóminos devem abster-se de monopolizar as mesmas, através da presença de convidados considerada incómoda pela sua frequência ou quantidade. Contudo há várias soluções engenhosas possíveis como a criação de horários, onde ficam calendarizados os dias em que cada condómino pode trazer convidados a seu bel-prazer. Há até condomínios onde se cobra determinada quantia por convidado, de forma a que cada um contribua para a manutenção da área que usufruiu.

14 - A fachada de um prédio não é a "baliza" mais apropriada para um jogo de futebol.



15 - Pela segurança de todos, as instalações de gás ou de qualquer equipamento susceptível de causar dano, deve ser instalado por profissionais qualificados, seguindo escrupulosamente todos os parâmetros de segurança. Igualmente, aquando uma ausência demorada, (como férias), deve haver o cuidado de cortar o fornecimento de gás e água usando as torneiras de segurança.

16 - Na hora do churrasco, há que verificar se o fumo irá incomodar os vizinhos, entrando nas suas casas, deixando mau cheiro nas roupas que estão a secar no estendal.

17 - Uma garagem é um espaço pensado para estacionamento de veículos. Ponto. Não deve nunca ser usada para armazenamento de produtos e bens, que pela sua natureza, sejam susceptíveis de causar incómodo, (ex: cheiros), ou sejam perigosos por serem tóxicos, inflamáveis, etc. Não são espaços que devam ser usados como oficinas, para comércio ou actividades recreativas.
Normalmente existe alguma tolerância para com o uso dado a estes espaços, desde que as actividades realizadas passem despercebidas, não causando incómodo, mas devem ser absoluta e imediatamente cessadas caso se verifique o contrário.

18 - A boa manutenção dos edifícios é obrigatória por lei. Isso implica vistorias, pinturas e arranjos diversos que, por sua vez, se traduzem em custos. Participar activamente nas reuniões de condomínio, e aceitar as responsabilidades inerentes é dever de todos, sem excepção.

19 - Cada pessoa deve adoptar hábitos de higiene e limpeza suficientemente eficazes, não só pela sua qualidade de vida, mas também para não incomodar os vizinhos.

20 - Os proprietários das fracções que sejam alugadas as terceiros, devem ser os primeiros a educar os inquilinos sobre o Código de Conduta.